quarta-feira, março 14, 2007

Napoleonicamente falando

Já que neste blog meto a minha vida toda em pratos limpos, mais vale já dizer que sou um daqueles gajos baixinhos que às vezes se vê passar na rua. Tenho a "preciosa" altura de 1,60m.
E bem sei que os homens não se medem aos palmos, ou assim me dizem, mas quem é baixo sabe bem que isso não corresponde à realidade.
Quero deixar bem claro que já ultrapassei quase todos os complexos e demais problemas mentais que tinha. Excepto o facto de ainda querer dominar o mundo, o resto da sanidade está OK!
Já estou tão habituado ao facto de ser meia leca que já nem dou por isso. Claro que em determinadas situações bizarras eu acordo para a realidade.
Por exemplo, ontem estava a falar com um grupo de pessoas muito bem, quando de repente tive uma espécie de flash (sim, tipo haxixe). Dei conta que sem dar por isso me tinha colocado ao nível dos olhos dos meus interlocutores subindo um degrau (bem alto), e lá estava eu todo contente.
Claro que não desci o degrau!
Eu não vou tomar aqui uma atitude miserabilista tipo tenham pena de mim que detesto essas coisas, mas às vezes penso em fertilizante... pronto já disse!

P.S. Mas curti à brava o jantar ;-)

4 comentários:

sem nexo nem sexo disse...

Ser alto também pode ser um inconveniente...as pessoas acham que se tem atitude, que se é "poderosa" e se não se sorrir, é porque se é arrogante. Para não falar das vezes que se refere à pessoa como "cavalona"....o que é sempre poético.

André disse...

Pois é, eu sempre que penso na minha altura, começo a pensar no outro extremo do espectro e quase que choro de tristeza...
Para as futuras concorrentes da "Bela e o Mestre" fica aqui anotado que eu estou a ser sarcástico (sinónimo de gozão).

sem nexo nem sexo disse...

Ai André...estou confusa...
O outro extremo do espectro qual é? e o sinónimo de gozão não é gozona? e ser se sarcástico é ter que altura?

Que confusão!!!!!



Ass. A bela.

André disse...

ehehehe