segunda-feira, novembro 21, 2005

A grande fuga dos feios, porcos e maus

Porque é que Portugal continua atrasado economicamente?
A minha opinião é que se trata, em grande medida, de um problema de atraso social.
Ainda estamos presos ao cinzentismo e à uniformidade voluntária. Dir-se-ia que, com as novas gerações (anteriores), já deveríamos ter outro tipo de mentalidade, mas assim não aconteceu.
Somos de facto cinzentos. Amenos. Não bélicos. Anti-revolucionários. Anti-mudanças. Olhamos de lado, com sarcasmo, para aqueles que tentam ser diferentes. Desconfiamos do bom - ai de quem se confessar bom em alguma coisa - o bom é mau. Autoinfligimo-nos com uniformidade, ser diferente é estranho. Reciclagem (formação) no trabalho é vista com humor e ridicularizada. Somos parolos!
Eu já viajei um pouco, há uns anos atrás, e foi aí que me apercebi do que ser português significa lá fora. Somos vistos como uns atrasaditos. Somos feios, porcos e maus. E tenho que dar a mão à palmatória, porque essa análise estava absolutamente correcta. Agora dizem-me que ainda (já passaram 15 anos desde as minhas aventuras por outros territórios) somos vistos dessa maneira e mais uma vez tenho que deixar a minha mão ser severamente açoitada.
Estas características que nos moldam também nos impedem de evoluir socialmente. Porque somos assim não podemos ser: inovadores; participantes na vida pública; informados; bem educados; bem formados; contestatários (com efeito palpável) ao que acharmos errado. Em conclusão, europeus de igual para igual.
O que me entristece é que pelo andar da carruagem, e a não ser que sejamos "colonizados" por potências económicas estrangeiras, só vejo isto a andar um bocado mais para a frente quando as novas gerações pegarem neste país. O que serve para dizer que só daqui a não menos do que dez anos, provavelmente vinte anos, é que estaremos ao mesmo nível (estou a ser optimista), socialmente, de países como a Suíça, Inglaterra, etc.
A minha pergunta agora é: Para quando uma grande vaga de emigração dos portugueses cansados desta merda?

44 comentários:

O não anónimo disse...

Só para dizer que "económicamente" grafa-se sem acento no "o"... Sempre às ordens!

André disse...

Obrigado.

O não anónimo disse...

Sempre às ordens, mas estou a ver que és um abusador, logo estou a ver que tendo pela frente muito trabalhinho (muitas correcções)...

André disse...

Bom, não és obrigado a isso. Mas agradeço de qualquer maneira.
Estás a ver, não custa nada ser civilizado.

O não anónimo disse...

É verdade, estás a sê-lo!

André disse...

Não comeces!

Anónimo disse...

Não comeces o quê...
Não é por tu dizeres algo tipo "Não comeces" que eu vou alterar a forma como eu escrevo aqui!!!

André disse...

Não comeces a ser indelicado, era o que eu queria dizer.

O não anónimo disse...

A minha pergunta era uma "pergunta de retórica", não era para ser respondida... Ai ai...

André disse...

Eu não respondi, tentei explicar melhor o que queria dizer.

O não anónimo disse...

A tua explicação foi em tom justificativo, portanto assume a forma de resposta. Ai ai...

O não anónimo disse...

Logo informo "novamente" que: a minha pergunta de «Terça-feira, Novembro 22, 2005 2:49:42 PM» era uma "pergunta de retórica", não era para ser respondida... Ai ai...

Concinha da Mata disse...

Estou pronta para emigrar! Vamos a isso!? Também vens, André Cardoso?
Ai,ai! Vamos todos...

André disse...

Sinto-me dividido. Gostava de emigrar, mas também gosto tanto do nosso país.

Concinha da Mata disse...

Pois...e de algumas pessoas que cá estão e não poderiam ir connosco
(ver se não escrevo com erros!)

Concinha da Mata disse...

E para onde iríamos!? Penso que bastava ir para Espanha, já se sentia a diferença!

André disse...

Eu prefiro sítios mais ao Sul. Tipo Austrália, América do Sul, África, etc.

O não anónimo disse...

Eu sabia, África, está tudo dito!

Concinha da Mata disse...

Brasil

O não anónimo disse...

Era uma chalaça para o André, visto ser do agrado dele os “autóctones” africanos «masculinos», não sei bem porquê…

Concinha da Mata disse...

Explica, como se eu fosse mesmo, muito burra!!

O não anónimo disse...

Não acredito que sejas burra, és um bocadinho ingénua «tens a parte boa da ingenuidade», o que eu queria dizer sobre o André era que o gosto por Africa estava relacionado não com o País mas sim os habitantes, nomeadamente os habitantes masculinos, com isto estaria a chamar ao André de Gay, com preferência por senhores de raça negra. A questão da raça negra ainda acumula uma característica: eles, em média, são mais avantajados do que brancos, na pilinha, logo estaria aqui a fonte da preferência do André… Espero não ter ferido susceptibilidades…
Mais uma vez digo: não acredito que sejas burra.

O não anónimo disse...

Gostaste do anúncio da ONIDUO, certo!?

Concinha da Mata disse...

Pois, o que eu não tinha mesmo percebido era a palavra "autóctones", quanto ao resto eu sei perfeitamente quais as tendências sexuais do nosso amigo. Penso que estás MUITO ERRADO!!!

O não anónimo disse...

Não me digas... Ele ainda é mais Gay do que eu julgava?!

O não anónimo disse...

Menina "concinha da mata", se quiseres consultar um dicionário na internet vai a

http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx

Não é uma maravilha, mas serve.

Espero ter sido útil.

João Pinto disse...

Só por curiosidade, menina Concinha da Mata, como sabe das tendências sexuais do Sr. André Cardoso???????

O não anónimo disse...

Agora é que vão ser elas...

André disse...

Gostava de saber porque é que não opinam sobre o que escrevo e só reagem às bocas do Não Anónimo?
Talvez ele devesse iniciar um blog...

P.S. Qualquer mulher, mesmo que não tenha qualquer tipo de relacionamento intímo comigo, percebe que eu sou muito MACHO!

Concinha da Mata disse...

Sr. João Pinto!!!
Tu sabes como é que eu sei!
Estás armado em esquisito?

João Pinto disse...

Caro André, eu sei que tu és muito macho e adoras mulheres!! Não ponho, obviamente, isso em causa!!
Agora, existirem determinadas "Concinhas" que fazem considerações de peito feito e com tanta veemência sobre a tua sexualidade, vai lá vai!!

Concinha da Mata disse...

Eu e o André somos muito intímos!!! Agora, achem o que quizerem dessa palavra :P

João Pinto disse...

Cara Concinha, não fosse pelo facto de o meu amigo André Cardoso sofrer na pele as consequências da parte do Não Anónimo, eu desmascarava-te as tuas tendências de travestismo feminino!!!

Concinha da Mata disse...

Estão com ciumes, é!?

Concinha da Mata disse...

Onde estão elas!?

João Pinto disse...

este blog está-se a tornar demasiado parecido com uma sala de chat!! Vamos lá parar com isto e utilizar os comentários para opinar sobre o Blog, como muito bem diz o André!!
Um beijinho para a Concinha e um abraço para o Não Anónimo!!

O não anónimo disse...

André, repara, é inegável, se não fosse EU, este Badalhog seria um marasmo... Só eu, para desencadear um Post em minha honra e gerar discussões acesas sobre algo não relacionado com este blog, pois na base, o teu blog é uma sorna... Tá provado...

cumprimentos e abraços para O João e para a Conchinha.

O não anónimo disse...

André, não estejas com ciúmes... Falta-te protagonismo...

O não anónimo disse...

Tens vontade de responder a este post, mas não o fazes por cobardia…
Se o fizeres estas a contribuir mais ainda para o meu protagonismo, não é?!

O não anónimo disse...

Está visto, o pessoal quando vê algo para comentar, sem ser um assunto “sonolento” do blog, abre as asas e contribui, escrevendo…

Dizeres Meus disse...

ó não antónimo
tu és mesmo uma grande chaga.
mas que granda melga

O não anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
O não anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
O não anónimo disse...

Chamas-me por “ó não antónimo” isso é um trocadilho ou é um erro devido à raiva/nervosismo de quando escreveste no teclado. Estás a perder a calma, toma a medicação, toma…

Ai ai, «diseres meus», até para uma mulher esse nick seria apaneleirado...