sexta-feira, maio 29, 2009

Um homem não se mede ao metro

"Lá vem ele. Espero que a porta pare à minha frente... o que é que esta gaja está a fazer??? Mas quem ela pensa que é? Olha o raio do velho... quer-me passar à frente! Daqui não saio. Para me moverem precisariam de diluente. Lá vem ele. Yes! Yes! Yes! Vai parar à minha frente. Vou-me sentar! E onde quero!!! Yes! Yes! Yes! Motherfucker!!!!!!!!!! Dassss!!! Merda! Cabrão do velho! Vou entrar depressa. Dasss! não consegui. Vou para o outro lado. PUTA! ROUBOU-ME O LUGAR! Merda! Também não me vou sentar ali que cheira mal. Que sa foda! Fico em pé... Merda!"

"Lá vem ele. É hoje que vou-me sentar! YES! Olha a sacana da chavalita. Pensa que manda nisto. Mas o que é que ela quer? A empurrar! Olha! Olha! Vem aí. Concentra-te. Estou à frente da marcação amarela, o que significa que a porta vai ficar mesmo à minha frente. Vem! Vem! Vem! Eu sou o ruler of the Universe! Me Master! Big Chief! I will seat today motherfucker! Vem. Vem. Cá está ela... mais um bocadinho...na mouche!!! Mesmo no meio. E cá vou eu. Querias? Tu também querias? Ah pois é...! Janelinha para mim. Olha aquele todo desorientadinho. Coitadinho! OTÁRIO!!! Olha a velha a olhar para mim; vou já sacar do meu livro..."

quinta-feira, maio 28, 2009

Eu sou ph... eu sou ph... eu sou do Partido Humanista

Como a minha querida e adorada me vai obrigar a votar nas Eleições Europeias, e porque eu nunca liguei nada aos valores partidários absolutistas, antes revia-me em uma série de ideologias que eram (são) transversais, fui obrigado a informar-me melhor sobre o "assunto".
Felizmente, encontrei uma ferramenta automática que me livrou do trabalho fastidioso de perceber em qual (partido) votar: http://www.euprofiler.eu/
Agora sei que pertenço, mais ou menos, ao Partido Humanista. Sou de esquerda como sempre desconfiei. De coração sou anarca, mas para mim a anarquia não passa de uma optimização extrema da Democracia.
E pronto! Já me formei em Política, à la "Novas Oportunidades", e sinto-me feliz.

terça-feira, maio 26, 2009

Com o coração nas mãos

Após vários meses a assustar a minha cara-metade, agora é ela que se diverte a assustar-me.
Quando chego a casa e vejo as luzes acesas, chamo-a; com medo. Ela não responde; eu sei que ela está escondida algures e me quer assustar, ou então esqueceu-se das luzes... - BUUUUHHHH!; AAAAAAAHH!!! (berro esganiçado, mas másculo).
A verdade é que ela não resiste a maior parte das vezes, e ouço-a rir atrás da porta ou em cima do candeeiro (eu sei que é exagerado, mas só de a imaginar em cima do candeeiro e torço-me a rir). É então que eu digo - Onde é que ela estará? O apalpador de maminhas chegou. Assim que encontrar umas, vou apalpá-las até à exaustão. - O riso dela, mesmo nervoso, é enternecedor. Encontro-a e procedo à tortura...
As poucas vezes que ela teve sucesso em assustar-me foram bastante eficazes: pulei e meti a mão na boca para abafar um grito, como uma menina.

segunda-feira, maio 25, 2009

Diga bom dia com cagando! Cagando! Cagando!

Tive uma manhã horrível!!!
A primeira coisa que faço todas as manhãs, depois de me levantar da cama, é dirigir-me ao frigorífico para retirar a sopa e pô-la a aquecer - é o meu almoço.
Esta manhã, quando peguei no tuperware, que leva cinco litros, pelo menos, senti logo que alguma coisa estava errada. Estava badalhoco e escorregou-me das mãos. Ao cair no chão, a minha visão ficou imediatamente toldada de um amarelo cenoura, por isso só posso deduzir a acção da sopa no resto do meu corpo e da cozinha. Fiquei ainda uns segundos com um olho fechado (colado), e o outro aberto a contemplar a completa desgraça que tinha acontecido. Quase entrei em pânico; não sabia por onde havia de começar a limpeza...
Ok! Consegui limpar quase tudo e despachei-me, que ainda tinha que apanhar três transportes públicos até chegar ao trabalho.
O primeiro transporte que apanho é uma camioneta que vai para a estação de Oeiras. No entanto, como existem várias que vão para lá, de um sentido e do outro na estrada, ponho-me sempre estrategicamente colocado entre paragens para ir a correr para a primeira em que vir uma camioneta. Apareceu-me a do sentido contrário e lá fui eu a correr. Sentei-me, confortável e confiante de que já estava, o pior já tinha passado, agora restava-me esperar, de transporte em transporte, que chegasse a Lisboa. Mas alguma coisa estava errada, a camioneta estava a dirigir-se por um caminho na direcção oposta àquele que eu queria - desejava. Fui perguntar ao motorista o que se passava e o idiota vira-se para mim e diz-me (em tom queixoso) que não tinha conseguido mudar a bandeira (informação escrita sobre o destino). Pensei: mas este palhaço não sabe informar as pessoas desse facto??? Mas disse: agora tenho que voltar para trás...
Ao chegar, novamente, à paragem de camioneta, para-me um mercedes vermelho ao lado. Pensei "Este atrofiado quer uma informação qualquer, mas eu não conheço nada aqui". O gajo abriu-me a janela uns 2cm no máximo e começou-me a perguntar qualquer coisa sobre a Via verde; onde era o gabinete...qualquer coisa assim. Eu não estava a perceber nada, e, para dizer a verdade, neste ponto nem adiantava eu perceber, porque já o tinha marcado: esta manhã estava-me a correr tão mal que eu tinha que me vingar em alguém; mais valia ser neste otário com mania de guichet da função pública ambulatório. Eu respondi-lhe que fosse sempre em frente e que voltasse à direita. Pelo menos ainda sei qual é o caminho para a autoestrada para Lisboa. - ehehehe - de certeza que vai passar pela Via verde. Ele ainda se voltou para mim uma última vez e esganiçou qualquer coisa incompreensível; eu respondi-lhe com um sorriso confiante e um largo gesto a indicar e repetir "sempre em frente!", "sempre em frente!".

terça-feira, maio 12, 2009

brinquedos somos nós

- What are you talking about? You talking to me? You talking to me?
- Mas Sir, não acha que a hegemonia potencial do seu poder pode toldar a sua visão imparcial e pura?
- O que estás falando boy? Estás a usar essas palavras caras para me impressionares? I already told you que quero nacionalizar o Toys'R'Us. Aqueles toys are all mine!!!
- I'm very sorry Sir, but you pay me to tell the true in a very caustic way.
- Lá estás tu a divagar. Já te disse que não percebo nada de francês. I WANT TO RULE THE HALL OF WRESTLING! Vai buscar um orange juice para o teu master e começa a redigir uma composição de como arrebentar com as cash machines.

Enquanto o Longfellow se retira, o little Dictator of Nearby rebola os olhos de gozo em antecipação à sua entrada em ombros no balcão dos embrulhos.

- I want a water gun! I will deploy doomsday if you don't get me a water gun!
- Sir! Sir! My beloved master! Aqui está a bisnaga. Mas, por favor, prometa que não volta a atirar água ao electric counter. Here's the composition.
- Finaly!!! I can already taste the power. I will rule that fucking cena!

Before they end, they walk into the sunset por cinco minutos até que o ditadorzinho se aborrece e volta para o palace.

- Fuck you Longfellow! I don't do physical work. Take that shit down and then chama-me.

THE END