domingo, novembro 29, 2009

Abram alas para a Catarina!

Por onde começar...?
Estou à rasca das costas! Deve ser de mudar 300 fraldas por dia. Sim, sou um pai rookie.
No dia zero (dia 26 de Novembro de 2009), quando começaram as contracções e levei a Adelaide para o Hospital, nada foi como estava à espera. Para além de um curso intensivo de preparação para o parto, todo o meu conhecimento era baseado no cinema. Estava à espera de chegar à sala dos partos e passados trinta minutos, no máximo, ter a minha filha cá fora; mas não! Chegamos lá à 1h45, a Catarina nasceu às 6h56, e só de lá saímos às 17h30. Isto tudo para justificar que quando a Catarina estava quase a nascer, eu estava deitado a ressonar. A determinada altura acordei estremunhado e quando vi a Adelaide de pernas abertas a fazer força dei um pulo do sofá e perguntei: "já nasceu???" Ainda não tinha nascido. Assisti, mas não olhei. Ainda pensei em olhar, mas quando comecei a ouvir tesouradas percebi que tinha tomado a decisão certa.
Eram para aí umas 18h quando me vim embora; a Adelaide ficou no piso 3, onde guardam as mamãs e os bebés.
No outro dia fui lá e deparei-me com este espectáculo:



A Adelaide e a Catarina só sairam do Hospital no Sábado (28 de Novembro de 2009).
Entretanto, tenho passado a vida a mudar fraldas e a posicionar a Catarina para mamar - é uma operação delicada de pontaria, e que assegure conforto e estabilidade para ambas.
Também tenho treinado tiro ao alvo com fraldas usadas, isto para quando um certo amigo meu resolver me visitar...



P.S. Antes de conseguir acabar este post fui chamado para mais uma limpeza a uma cagadela monumental - uma dupla cagadela, pois quando acabei de passar o creme no rabinho, toma lá mais outra! Ai as minhas costas! Ainda por cima os baby grows são autênticos puzzles.

domingo, novembro 08, 2009

Ficas logo a ver a dobrar...

Podem dizer que sou tarado; que só penso nisso; que tal e tal. Mas segundo par de quê? Eu não preciso, mas vou já avisar o Fódss para ir comprar uns óculos.

sexta-feira, novembro 06, 2009

Que melão!

A Adelaide pôs nas gavetas da minha roupa umas bolinhas de madeira impregnadas de um cheiro a melão. Não consigo descrever o enjoo que sinto com o cheiro da minha t-shirt...; o cheiro não desaparece, nem eu me habituo a ele. É horrível!!!