segunda-feira, março 16, 2015

Confuso

Sinto-me confuso.
Passei de bicicleta com um sorriso por várias enormes filas de pessoas que esperavam o autocarro, substituto do metro em greve. Agora penso que se tivesse um furo em frente de uma dessas filas, enquanto sorria, nunca daria parte fraca; continuaria até virar a esquina.
Não gostei de um único vídeo sobre a humildade e a generosidade de quem dá algo a um sem abrigo; acho-os todos falsos.
Estou contente que o Sócrates continue na prisão; nunca gostei dele.
Confuso porque sou torto.