sexta-feira, março 16, 2007

Aceita-me! Eu aceito-te.

Tens que mudar. Tens que tentar não ser assim. Tens que melhorar este aspecto. Tens que tentar fazer as coisas de maneira diferente. Tens que deixar de fazer isto, isso e aquilo. Tens que te adaptar ao mundo porque este não se adapta a ti. Tens que te conformar. Tens que te integrar. Tens que mudar.

Quem é que nunca ouviu isto? Melhor ainda, quem é que realmente leva a sério uma pessoa que nos pede uma metamorfose? Eu sei que eu não.
Porque é que alguém que gosta de mim há-de sinceramente querer que eu mude? Eu não mudo e nunca mudarei. Eu sou eu! Os meus defeitos são tão tão importantes para a minha identidade quanto as minhas qualidades. Se mudasse um iota que fosse, já não seria eu, seria outro qualquer.
Eu não peço a ninguém que mude. Eu aceito a identidade de quem eu gosto. Foi por essa identidade que eu me aproximei. Não quero outra pessoa perfeita no lugar daquela que é defeituosa.
Não gosto de gente perfeitinha, com tudo no lugar, aborrecem-me.
Garanto que não durava cinco minutos na companhia de Jesuses, Ghandis e Madres Teresas de Calcutá sem pensar em pirar-me dali p'ra fora.
A decadência e a imperfeição são coisas que amo; Abraço mais depressa o caos do que aceito a ordem.
Não me tentem moldar, eu parto.

Estou errado? Claro que estou!

11 comentários:

sem nexo nem sexo disse...

HAAAA não sei se concordo.....não se muda assim do pé para a mão mas a convivencia faz nos amaciar certos aspectos, azeda outros e intensifica mais alguns. Não se pode pedir a alguém para mudar mas pode se mostrar outra realidade....mas isso dava uma looooooooooooooooooooooonga conversa e o meu tempo de antena já lá vai.

André disse...

O que eu posso te dizer é que de facto tenho mudado ao longo dos anos, mas as mudanças partiram sempre de dentro para fora, ou seja, por minha iniciativa.
Detesto que me peçam para mudar, prefiro ser eu a chegar a essa conclusão.

Patrícia Cardoso disse...

Concordo contigo André...a mudança tem que ser vinda de dentro para fora...

Concinha da Mata disse...

Também concordo contigo, embora, em certos aspectos eu ache que sejamos "obrigados" a mudar. Custa-me imenso é quando nos pedem para mudar e essas pessoas pensam da mesma maneira que tu, que não têm elas próprias que mudar a sua maneira de ser e estar na vida. Portanto, não o podem exigir aos outros. Quando gostamos, gostamos como a pessoa é.

André disse...

Eu só mudo quando acho que o meu comportamento é prejudicial para terceiros. De outra forma, não vejo sentido em me "aperfeiçoar".
Claro que quando insistem em que mude, eu mando-os ou -as dar uma curva. - Se não me aceitam assim, não tinham nada que se aproximar de mim.

sem nexo nem sexo disse...

Mas as mudanças de dentro para fora existiram por alguma coisa que te despertou. Por vezes alguém pode "despertar te" para algo que até aí pensavas estar certo. E agora? foi alguém que te pediu ou foste tu que assim o quiseste? pois é....nada é simples nem unilateral....a meu ver claro...

Ass. A BELA

André disse...

Pois, mas o que eu digo é que não gosto que me forcem. E também não gosto que façam de uma mudança uma prioridade essencial e prioritária para que a minha personalidade se adeqúe mais ao gosto do crítico(a).
Mais uma pequena ressalva: espero que não entendas as imperfeições como defeitos graves.

Bela, cada vez estás mais culta!

sem nexo nem sexo disse...

prioridade prioritária
Também temos;
Descer para baixo
Subir para cima


E por aí....

he he he

André disse...

Mereci essa. Que desatenção...

Avelã disse...

mas afinal quem raio te pede para mudares, diz-me quem é que eu bato...

André disse...

Não eras tu...?
Tipo, tornar-me menos educado e afins.
Estou a brincar!