segunda-feira, abril 30, 2007

There's a new kid in town!

Mais uma epifania!
Na realidade são duas ideias numa só.
Onde eu trabalho conheço um tipo que, digamos, não regula muito bem. É meio amalucado. Este indivíduo é completamente inofensivo, mas tem duas características um bocado irritantes: não se lhe pode dar conversa porque depois ele não arreda pé; e é exageradamente bem educado, ou seja, é capaz de ver uma pessoa a trezentos metros de distância e esperar por ela, enquanto aguenta alguma porta aberta com um grande sorriso.
A primeira metade da minha epifania surgiu quando o maluco me fez o mesmo, obrigando-me a correr. Pensei logo - Este sou eu!
Eu tenho sido, durante toda a minha vida - concluí agora com algum horror -, também exageradamente bem educado. Também sou capaz de esperar pelas senhoras com uma porta aberta e um sorriso no rosto. Mesmo que elas estejam ao fundo da rua. Obviamente que sei que este gesto (entre outros) é um bocado estúpido, uma vez que as obrigo a apressar o passo para não me fazerem esperar muito. Uma coisa que não é muito agradável para elas de saltos. No entanto, tenho sido incapaz de as ver e não estender um gesto de cortesia ou cavalheirismo, como o queiram chamar.
A segunda metade tem vindo a acumular durante alguns anos de observação in loco do processo de acasalamento.
Cheguei à conclusão que, como já referi em outros textos, os bons rapazes não chegam a lado nenhum, enquanto que os agressivos, mal educados e assertivos, acabam invariavelmente com a miúda. Esta, no primeiro contacto com a besta, até se mostra bastante incomodada com o seu comportamento. Ás vezes chega a ser divertido verificar o inevitável desfecho, quase a contra-gosto da miúda.
Unidas as duas partes da epifania, é com pesar que chego à conclusão que o meu comportamento até à data tem sido nitidamente contraproducente para uma qualquer hipótese de um "final feliz".
Temo agora que tenha que reavaliar toda a minha atitude para com os humanos e fazer algumas alterações de base. Independentemente do que se possa dizer, os factos são os factos, e eu estou farto de agir polidamente.
O comportamento ideal para se viver nesta sociedade, em que se diz umas coisas e fazem-se outras, é um de agressividade latente para com o próximo. Cagar para as boas maneiras.
Já comecei os meus exercícios de integração, este fim-de-semana deixei de sorrir para os vizinhos e não espero por ninguém com a porta aberta. A ferocidade masculina virá a seguir. Resultado quase imediato, as vizinhas boas começam a demonstrar algum interesse. Noto uma certa aproximação e curiosidade pelo novo macho alfa que surgiu no prédio.

Nota: Amigos e amigas, escusam de refilar que o meu comportamento para com vocês não vai mudar. Aquele com uma porta na mão e um sorriso na cara.

17 comentários:

moimeme disse...

Acho que as tuas vizinhas vão notar a falta do teu sorriso! Ouvi dizer que já andam meio deprimidas!

sem nexo nem sexo disse...

parvo parvo parvo!!!
Não é nada disso!!!
O truque é ser uma mistura dos dois, e com isso não quero dizer esperar pela miuda e quando ela chega, largar a porta na cara dela!!!
O objectivo é deixá-las (nos) sem saber com que podemos contar. Surpreender...deixar nos (ainda mais) baralhadas. E by the way, "there's a new kid in town" é nome de musica!!! fuleira, pois sim, mas música!!!

André disse...

Achas moimeme? Elas estão é curiosas.

snns: eu sei que o título é nome de uma música (dos Eagles) e não é nada foleira; o truque é mesmo ser agressivo pelo que eu já tenho visto

Avelã disse...

andré ainda gostava de saber onde foste buscar essa ideia....

sem nexo nem sexo disse...

Ó menino agressivo...tu troca a faixa, e ouve "one of these nights" isso assim, uma das melhores músicas de todos os tempos...mas pronto, estou a divagar...diz me só em que mundo vives tu para achar que uma mulher gosta de ser tratada com agressividade....a não ser que tenham o impulso de te domar, de te descongelar....mas e depois? beurkkk, isso de fazer de conta tem muito que se lhe diga e caso não tenhas reparado, estou a tentar fazer um comentário maior que o próprio texto...

:)))))
(isto sim é fuleiro)

André disse...

Ok! Confesso que a ideia do texto foi porque a Avelã me chamou de ursinho de peluche (não será preciso dizer que é uma expressão carinhosa); mas eu não quero ser um ursinho de peluche, quero ser um Action Man.
Pronto, está dito!

Avelã disse...

ahahahahahahahahh
minha nossa tu nem tens dormido confessa lá? mas ursinho de peluche é tão fixe, os actin mans são musculados demais andré, nem dão para dar xis,lol.

João Pinto disse...

Várias coisas que nunca se devem dizer a um homem:
- "Gosto muito de ti como amigo"
- "Tu e eu somos como irmãos"
- "Estamos na mesma cama em roupa interior porque contigo sinto-me em família"
- "Jamais iria por em causa a nossa amizade por causa de uma relação amorosa"
- "ÉS UM URSINHO DE PELUCHE!!!"

Andre disse...

Eu sou um ACTION MAN!

O Anarquista Duval disse...

e eu sou um Playmobil...pelo menos é o que os meus colegas agora me chamam por causa do meu cabelo!!

princesinha urbana disse...

Como mulher te digo que a garessividade não conquista niguém...ninguém de jeito, quero eu dizer! Eh pá, mas cavalheirismo a mais e educação a mais tabém não. Enjoa! É o de sempre: no meio é que está a virtude!

Avelã disse...

joão pinto meu querido amigo

tens que admitir que um ursinho de peluche é uma coisa boa...

bbastos20 disse...

André eu gostava muito de te poder ajudar. Como gostava!
Mas infelizmente nunca compreendi as mulheres... e quanto mais o tempo passa mais longe me sinto dessa meta (sim, que já deixou de ser objectivo há muito).
De qualquer maneira também me parece que o equilíbrio agrada a muita gente.
E entre ursinho de peluche e Action Man... não sei, aqueles músculos todos e ar forçado de mauzão... eu acho é que o Action Man gosta de ursinhos de peluche - confuso? Também eu!

André disse...

Acho que as mulheres vão ser sempre a minha obsessão, o meu estudo, o meu passatempo e a minha vida...
Irei para a cova com um ar de interrogação.

bbastos20 disse...

Epá calma aí André.
As mulheres podem ser um espanto, mas...

E o Quico???

André disse...

O "grande" quico é uma excepção. Ajoelho-me em reverência.

João Pinto disse...

Amiga Avelâ:

Ursinho de Peluche é uma coisa boa para se dizer quando se está no Vale dos Lençois!

Beijos para ti (quando regressas a Lisboa??)