quinta-feira, abril 19, 2007

Estúpido que nem uma porta mas feliz

Já estou a ficar um bocado farto dos gajos que dizem que não é preciso dinheiro (e tudo o que isso traz) para se ser feliz.
Foi feito um estudo há pouco tempo em que se analisava a média de felicidade do ser humano. Descobriu-se que não interessava em que condição ele se encontrasse (paralítico, cego, pobre, rico, super atleta, topo model, etc) porque o valor da felicidade acabava sempre por subir para a média humana.
Pronto, então quem diz que as posses e a condição social/física não interessam nada para a felicidade até tem razão, mas a meu ver deviam estar era caladinhos porque, geralmente, quem fala nestas coisas já tem dinheiro ou é um monge budista - sim, os padres têm dinheiro.
O facto é que prefiro ser um feliz esclarecido, conhecedor e saudável do que um feliz ignorante, estagnado e com catarro.
Se estes gajos tivessem a mínima ponta de razão, então porquê que nos damos ao trabalho de evoluir? De aprender? De ficar mais e mais saudáveis?
Não é o dinheiro que nos faz mais feliz. Mas o que é que eu faço com a felicidade se for um desgraçadito contente?

1 comentário:

Avelã disse...

ora nem mais, tens toda a razão, bando de mentirosos com a mania de moralismos