segunda-feira, maio 14, 2007

Um vampiro em Lisboa

- Que raio de cidade fui eu escolher!
Quando me mudei para Lisboa, já faz um século, não pensei que se celebrassem tantos feriados religiosos.
Se a Primavera e os seus pólens arrebitam as alergias que por aí andam, a mim são as marchas com cânticos religiosos e a intensa programação televisiva dedicada a algum santinho ou suposta virgem. Ando o ano todo com o lenço na mão e os anti-hístaminicos no bolso.
Foi com cuidado que escolhi a minha tumba: uma cave num local sossegado no centro da cidade. A localização é óptima para as minhas deambulações nocturnas em busca do meu sumo favorito. Escolho sempre os meus "recipientes" cuidadosamente, nada de pessoas famosas ou concorrentes dos Reality Shows - não é por serem conhecidos é só porque me fazem azia.
Estes últimos anos têm-se mostrado particularmente difíceis para a paz das minhas refeições. Cada vez há mais participantes de B.B.'s e Jet Set's. E, além do mais, as cantorias nas ruas, dedicadas aos gajos lá de cima, estão cada vez mais estridentes. - Já não posso mais!
Sou o último da minha espécie tão ao Sul da Europa; todos os outros familiares emigraram para o Norte: Recebo postais de vez em quando com alegres fotografias e textos que ilustram o absentismo da fé (crescente) dos muitos humanos que lá habitam. Além do mais, e devido talvez ao frio e à libertinagem da população nortenha, a caça é dez vezes mais proveitosa do que nestas paragens, e as gentes mais "abertas" a novas experiências. Os meus irmãos tornaram-se nuns autênticos novos-ricos.
Tenho que confessar que a vontade de viajar e estabelecer-me noutras paragens tem-me consumido ultimamente. Não penso em quase mais nada. Se ao menos o sangue puritano não fosse tão bom...
Enquanto escrevo estas linhas decorre o dia de Nossa Senhora de Fátima, essa falsa virgem. Os meus pacotinhos de sumo estão em romarias ou fechados em alguma Igreja. O estoicismo deste dia corrompe-me a mim também, involuntariamente. O sapatinhos vermelhos, esse nazi, está em todos os canais. - Estão a querer enlouquecer-me!
Talvez o único dia "Santo" que me alegra seja o Sto. António, desde que me mantenha longe das Marchas Populares. As orgias (sexuais, alcoólicas e sanguinárias) desse dia fazem-me ter alguma fé pela população alfacinha. É sempre uma altura de despensa cheia.
Vou esperar por Junho para me recompor e depois logo se vê. Talvez vá viajar para outras paragens. Espalhar a minha palavra.

9 comentários:

moimeme disse...

AHAHAHAHAHAHHAHA

Genial

André disse...

Moimeme, espero que tenhas trazido um crucifixo, não respondo pelos meus apetites.

sem nexo nem sexo disse...

Ena Ena, tamos bem dispostos...podes sempre olhar para outras festas populares não tão saudáveis como as nossas.....e agora não me lembro de quais mas que as há, há.

Vou ao google...hoje não tenho nada para fazer mesmo.

moimeme disse...

Fiz um esforço gigantesco para responder ao desafio e nem mereço um comentáriozitozitozito?!!

André disse...

snns: procura bem!

moimeme: já comentei o teu desafio. Um enorme esforço...? Brincalhona!!!

sem nexo nem sexo disse...

olha
Fiquei me por aqui:
"Boi-Bumbá, Bumba-meu-Boi, Boi-de-Reis, Bumba-Boi, Boi-Surubi, Boi-Calemba ou Boi-de-Mamão, são nomes dados a essa manifestação que tem na figura do boi o personagem central, representado por uma cabeça de boi empalhada, ou modelada, e de corpo feito de papel ou de pano colorido e muito enfeitado. A dramatização é feita geralmente nas praças públicas, onde começam fazendo uma louvação religiosa. Ao som de cantigas entoadas por cantadores do conjunto musical que os acompanham, entremeiam-se pequenos quadros em que os atores representam suas preocupações cotidianas, sendo que no final o boi sempre ressuscita e sai dançando no meio de todos."


Agora estou cansada de tanto visualizar...

Pelos vistos sou a bela e tu o mestre...

Vampiro disse...

Eu já vivi no Brasil e tenho que confessar que gosto muito do sangue creoulo, mas mesmo assim prefiro o lusitano.
Bois à parte, eu sou de facto um mestre nas artes obscuras e uma noite destas de luar faço-te uma visita para te tornar uma bela imortal.
AHAHAHAHAHAHAH (riso tétrico)

Avelã disse...

epa andre tas fantastico este post, estou a imaginar-te sentado na sanita de caderninho ao colo a escrever tão genial post....lol

André disse...

Na sanita??? Não me podes imaginar num local mais distinto por favor?