quinta-feira, maio 03, 2007

Eu e tu e o sonho de nós

Eu sou imperfeito, muito imperfeito. As minhas qualidades não chegam para os meus defeitos. Quem me pegar leva um produto tão completamente humano que qualquer esperança de entrada no Éden primordial é imediatamente erradicada.
Eu sou o que sou mas aspiro a ser melhor sem nunca o conseguir. A percepção do que eu sou e do que poderia ser nunca me deixa porque vivo em constante pensamento.

E tu, tu és perfeita aos meus olhos. Se tu os utilizasses como espelhos verias o que eu vejo. Em todos os meus sentidos está o eco da tua perfeição; para o sentires também, bastaria que tocasses, cheirasses, ouvisses, saboreasses e instintivamente saberias o que eu já sei.
Já foste humana, agora és algo mais, diferente. Irradias uma luz que me cega e entorpece. Na tua presença sinto-me mais perto do Céu.

Estas são as palavras que uso. Elas são tuas. São a única coisa que te posso dar agora. Por ti esvaio-me até à última letra. Escolherei as mais belas mesmo sabendo que não te fazem justiça. Aceita-as.