quarta-feira, maio 02, 2007

Sonhos guardados na gaveta

Há uns bons anos atrás eu mantinha um diário onde escrevia e desenhava de vez em quando. E foi ontem, ao vasculhar os meus "tesourinhos deprimentes", que me deparei com um, o último que escrevi. Este tinha a data de 1995.
Nesta altura já tinha ido à tropa havia cinco anos, já era homem. No entanto, ao lê-lo, percebi que ainda tinha a mentalidade de um adolescente - será que ainda tenho? - O diário estava repleto de relatos parvos e desenhos.
O que me chamou a atenção foi uma lista de objectivos de vida que fiz na altura, e ao relê-los descobri que ainda só tinha cumprido com três de uma extensa lista. Claro que alguns dos objectivos, agora, já não me parecem tão fascinantes, como por exemplo, tirar o Brevet de helicóptero, e uma série de cursos que já não me interessam. Mas outros, como viajar num veleiro numa volta ao mundo e conhecer certos países, nunca me sairam da cabeça. Sonho com eles de vez em quando.
Entretanto acumulei mais uns quantos objectivos que já não me dou ao trabalho de passar para o papel mas que permanecem na minha mente, e que à noite, quando menos espero, me assaltam de rompante. Quando lhes pergunto quem ou que são, eles respondem sempre que não são nada até que eu me decida a dar-lhes forma. Aí serão qualquer coisa, dizem eles. Qualquer coisa maravilhosa.
Não sei se me hei-de sentir feliz ou não por ainda me faltarem tantos objectivos para cumprir, mas creio que pelo menos a perspectiva de ter sonhos e planos é sempre mais animadora do que não os ter.

9 comentários:

moimeme disse...

Cumprir ou não objectivos depende, muitas vezes, da fasquia alta que desejamos! Mas faz parte da vida... uns alcançamos, outros quase que alcançamos... e outros ainda que acertamos em cheio!

Na minha opinião é fundamental ter essa "lista"! Sem ela sinto-me sem norte... a viajar a pé sem bússola!

beijos

André disse...

Também tens uma lista escrita?

moimeme disse...

Não! é uma lista mental! Mas é como se estivesse escrita.

bbastos20 disse...

Li um livro que apesar de não estar bem escrito tem conteúdos muito interessantes. Chama-se "O Monge que vendeu o seu Ferrari", e dita algures que um objectivo só o é se for escrito num papel. E deve ser alto q.b. para que sonhemos com ele, mas suficientemente tangível para que não se limitem a sonhos enevoados que sabemos de antemão nunca atingir.

André disse...

Estás um autêntico filósofo, Sérgio. ;-)

Avelã disse...

´são os objectivos que nos fazem lutar na vida e ter vontade de sempre mais e mais. e nada como o sentimento de conquista de "epa consegui!" e bora para o próximo da lista.

alfabeta disse...

Deitei o meu diário que tinha desde os 17 anos fora, que ridicula que eu era.

sem nexo nem sexo disse...

O que se faz quando se concorda com tudo o que se disse atràs mas queremos que a pessoa (autora do texto)saiba que estivemos aqui e que concordamos com tudo o que foi dito atràs?

:)

André disse...

Faz-se assim: tou contigo!