quarta-feira, maio 09, 2007

Que se lixe o que os outros pensem!

Quando ficamos muito tristes temos vontade de começar tudo de novo, tudo do zero. Sair, viajar, ir para o estrangeiro; Temos vontade de nos revoltarmos com um berro que dure tanto e seja tão alto que fragmente, estilhace tudo à nossa volta.
Não é assim que eu me sinto agora, mas lembrei-me das vezes em que me senti assim e senti um arrepio ao pensar nas tristezas que ainda terei no futuro.
Até me podem dizer - Oh pá, não sejas mariquinhas! Todos passamos por isso! -, ao que eu respondo - Eh pá, vai á merda! Deixas-me sentir um bocado de pena de mim, se fazes favor?
O pior nem é saber que vou ficar triste no futuro, o pior são os cenários que eu tenho a mania de inventar. Eu gosto de sonhar acordado, mas quando começo a ter pesadelos acordado, que são os cenários que eu imagino e que acabam num grande drama, aí é que começo a entrar em parafuso. Nessas alturas já não consigo fazer nada para deter a catadupa de ideias malucas que me vêm à mente, por isso deixo-me ir. Quando acabar, acabou.
O que é que estes acessos demonstram? Alguma insegurança e uma imaginação do caneco! - Vejam! Não precisei de gastar dinheiro no psicanalista...
Não posso fazer nada em relação à imaginação, mas à insegurança só tenho uma coisa a fazer que é agarrá-la pelos cornos. E perguntam-me vocês: como é que isso se faz? Faz-se assim...falando das coisas, desabafando. Mesmo correndo o risco de nos chamarem MALUCO! ou outros nomes piores.
O que eu quero realmente dizer é que não faz mal o que os outros digam sobre a exposição da "nossa" vida privada neste meio público por duas razões: uma, somos todos iguais, todos passamos pelos mesmos dramas; a outra, mais uma vez, porque desabafar faz bem, mesmo com um completo estranho.
Vamos todos revoltar-nos em conjunto contra o sistema que nos tenta amordaçar? Antes de o fazerem, lembrem-se que todos fazemos parte do sistema.

13 comentários:

Anónimo disse...

Li o seu post depois de comentar o da princesinha urbana e deu-me para a comparação... Concordo com ela quando considera que a net e os blogs não são lugares de lavar roupa suja mas concordo consigo quanto á questão do desabafo. Quantas noites minhas de tristeza foram salvas graças a um amigo virtual...
Para além disso, concordo, fica mais barato que o psiquiatra!

P.S- Anónima por ser ex bloguista.

André disse...

Eu até já tenho lavado alguma roupa suja, mas tomo sempre o cuidado de não identificar ninguém.
Pela liberdade de expressão eu acho que devemos exprimir o que sentimos sempre que quisermos - desde que isso não magoe as pessoas que gostamos, claro!
A minha cara anónima não vai levar a mal porque o que eu vou dizer não tem nada a haver consigo, mas acho que a liberdade de expressão quando utilizada em toda a sua plenitude, sem camuflagens nem anonimatos nem costas quentes, é um grande acto de coragem. Agora as mensagens passadas através desse acto de coragem é que podem ser tão negativas que, por si só, anulam o próprio acto.
Acima de tudo devemos nos lembrar que os nossos ideais e motivações nunca devem ser colocados acima das pessoas que gostamos.

Anónimo disse...

Concordo consigo André. "Os nossos ideais e principalmente motivações nunca devem ser colocados acima das pessoas que gostamos."
As nossas familias e os nossos verdadeiros amigos são os que sempre estarão connosco no bem e no mal.
Quanto, á roupa suja (desculpe falar novamente no mesmo assunto), continuo a discordar. Há sempre maneiras de falar (neste caso, escrever), sobre o bem e o mal sem ser utilizando esse método. Podemos não identificar as pessoas mas as coisas sempre se sabem...
Para além disso, por vezes, o nosso amigo hoje é o nosso inimigo amanhã.

Anónima por ser ex bloguista.

Peço desculpa pelo anonimato, espero que não leve a mal, aliás, como já foi referido, nunca me serviria disso para a dita "roupa suja".

André disse...

Então vamos lá ver o que é lavar roupa suja: A meu ver é contar alguma história que se tenha passado connosco e terceiros em que alguém tenha saído magoado, geralmente a primeira pessoa.
Estas histórias têm sido contadas ao longo de toda a história da humanidade, umas vezes de uma forma crua e cruel outras de uma forma romântica e bela, passo as devidas redundâncias.
Por exemplo, o que são a maior parte dos poemas se não uma forma muito bela de lavar a roupa suja.
O que eu acho é que temos que tentar ser elegantes e educados em tudo o que fazemos e, assim, não há quase nada que não possamos fazer.
O bom gosto e a educação andam de mão dada com a aceitação social.

André disse...

Não levo a mal o seu (teu?) anonimato.
E esqueci-me de dizer que fazer inimigos é uma consequência lógica das nossas fortes convicções. Eu não me importo de ter inimigos, desde que não me magoem fisicamente...

moimeme disse...

Se se cruzarem com alguuém com instintos de lavagem de roupa suja... sugiro que lhes dêm o meu contacto! Tenho em casa um cesto cheia dela....

loooool

PS: Estou no dia do aparvalhaço!
PSD: Volto a perguntar: O que é que eu faço aqui com um dia destes.
CDS/PP: 'Vivá chineloca!

sem nexo nem sexo disse...

desabafar com estranhos é sempre mais reconfortante. não sei se por o distanciamento, se por essa pessoas não ter bases para nos julgar, não sei de todo. de qualquer maneira concordo com a anonima, quantas vezes escrevi com estranhos e aprendi bué..

André disse...

moimeme :-))), eu não tenho roupa suja mas tenho roupa para engomar. Também dá?

snns, eu cá prefiro desabafar com os meus amigos. Eles já sabem que eu sou maluco.

bbastos20 disse...

Desculpem a deselegante intromissão, mas não resisto.
André: sim, és maluco. Há que dizê-lo com frontalidade e com tranquilidade, porque sem tranquilidade a vida não corre e eu gosto de estar traquilo.
Quanto à roupa suja, posso contribuir para o monte. Ouvi dizer que neste blog lavavam...
E André, desculpa a insistência, mas os caracóis são muita bons!!!
Pronto, também tive direito à minha dose de parvalheira diária. Epá isto alivia...


P.S. - O Quico tá bom?

André disse...

Bastos és sempre bem vindo. Intromete-te quando quiseres. Os caracóis tem um aspecto horrível e o Kiko está um porreiraço. Se o Kiko fosse pessoa era um Rasta Man, tal a pachorrice e coolness do bicho.

princesinha urbana disse...

Concordo com o André em absoluto. Escrever é também uma forma de desabafar e até aqui tudo bem. Cada um tem o seu blog e faz dele o uso que melhor entender. O conteúdo de cada blog cabe à consciência de cada um.
O que não está certo é usarem-se blogs alheios para "lavar a roupa suja" e o que eu quero dizer com isto, para que fique bem claro, é: ataques pessoais ou expôr situações pessoais que nada têm a ver com o texto escrito.
E o que está completamente errado é identificarem-se pessoas e siuações que apenas aos próprios dizem respeito e, bem assim, tentar denegrir a imagem das pessoas. E eu digo tentar porque não passa mesmo disso!

André disse...

Claro que este caso que a Princesinha Urbana expôs vai completamente contra a elegância e a boa educação e, para além disso, por o seu conteúdo ser tão negativo anula a liberdade de expressão da mensagem.
Sou contra esta lavagem de roupa suja muito específica em que se utiliza o espaço de liberdade alheio para divulgar os próprios medos e raivas.
Em última análise, todas as histórias contadas com o intuíto de prejudicar alguém, com esse alguém devidamente identificado na história, por vingança, raiva ou inveja, são muito negativas e só fica mal visto, aos olhos de todos, o contador destes mitos.

bbastos20 disse...

André, deixas-me confuso. Além disso nunca provei um chefe corso...
Epá, e bastos? Que impessoal! Só sou bastos porque esta coisa resolveu que deveria colocar aqui o meu utilizador do gmail!
Ah e desculpa, não sabia que era Kiko com "K" (chique...) - Dá um abraço ao Rasta Dog e diz-lhe que passo no ginásio para o ver um dia destes ;)