segunda-feira, janeiro 22, 2007

Tu ou você?

Se esquecer-me dos nomes e caras das pessoas frequentemente me obriga a utilizar a expressão "então pá!" demasiadas vezes, não saber como tratar certas pessoas mais velhas em que pessoa, obriga-me a outros artifícios mais elaborados.
Claro que já me ocorreu perguntar se deseja ser tratado por você ou por tu. Mas normalmente acanho-me e não pergunto.
A razão porque não pergunto é porque levo muito tempo a decidir-me se o devo fazer. Acredito que passados uns meses (pelo menos) de convívio, a outra pessoa só poderia achar estranho o timing da dúvida.
A minha indecisão inicial surge do medo da resposta ser um formal "você", o que me levaria a evitar a pessoa por causa da minha aversão à frieza do tratamento.
A tentativa ocasional também está fora de questão. Poderia levar a uma reacção que me deixasse de boca aberta demasiado tempo.
Deduzir é demasiado arriscado. As pistas nunca são suficientes, e as poucas que existem são contraditórias.
Acabo por não perguntar.
Uma relação nestes moldes não é impossível, só tenho que evitar fazer perguntas directas. Assim utilizo muito a primeira pessoa do plural, ou começo a frase com o indistinto cnhanhadabadabadaba...

6 comentários:

Marciana disse...

Tu Tu realmente andrezinho!

Que tal: Prefere que a trate por tu ou por voçê?? Ou prefere que nem a trate e passamos já ao que interessa???ahahahahahah

Korrorrrrr, sou horrivel!

Acho que estou a ficar estupida quando te comento!

André disse...

Gosto de desorientar as mulheres.

AlfaBeta disse...

Concordo com a Marciana.Prefere que a trate por tu ou por você?

André disse...

Pronto, pronto. A última coisa que eu quero é uma amotinação das minhas marinheiras.

Marciana disse...

amotinação das minhas marinheiras?????

André disse...

Não gostas da palavra, pronto, revolta.