quarta-feira, janeiro 31, 2007

Os filtros do poder

Já não são só os livros, as peças de teatro e os concertos inflacionados que limitam a cultura geral a apenas um ou dois estratos sociais; também agora a programação televisiva (num canal público) de interesse nacional, cultural e político, é remetida para horários proibitivos para quem trabalha de sol a sol, suadamente, que é o caso da maior parte da população portuguesa.
Até quando as classes sociais baixa e média baixa terão que sofrer este tipo de discriminação positiva?
Coitadinhos, fartaram-se de trabalhar. Eles depois do trabalho não querem estar a pensar, querem é vegetar à frente da sua telenovelazinha ou futebolzinho. Não os vamos chatear com estas coisas chatas. Aliás, de certeza que ou não votam, ou votam naquilo que os "mais esclarecidos" ou os grupos de pressão lhes indicarem.
A ignorância é filha da pobreza.

4 comentários:

Marciana disse...

O pior meu caro é que de facto existem esses de que falas, os qua votam, não por convicção mas por pressões várias. Além disso sempre assim foi, a televisão interessante só funciona apartir da 1 da manhã.

André disse...

E essa, minha cara, é uma das razões porque não acredito na democracia.

Marciana disse...

Monarca???

André disse...

Nem pensar! Não gosto muito de rótulos, mas podes-me considerar uma espécie de anarca humanista