quinta-feira, fevereiro 02, 2006

O bolo azul

Para grande irritação da minha mãe, eu sou daquelas pessoas que tem que cheirar tudo antes de provar. E faço-o com um ar inquisidor (se não mesmo inquisitório). E depois digo-lhe: "não está bom, nem está mau, come-se!" ou "falta aqui qualquer coisa...". Ela não acha piada nenhuma. Eu acho.
Para dizer a verdade a minha mãe não é a melhor cozinheira que conheço, longe disso. Então, por segurança, vejo-me obrigado a cheirar e a atestar a textura, forma e cor.
Ainda hoje se contam histórias do célebre bolo azul que a minha mãe fez e eu comi. Não deviam ter passado mais de vinte minutos quando começou a fazer efeito: comecei a sentir-me mal disposto, com uma pressão no peito, que eu pensei ser algum ataque cardíaco - sempre fui um bocado mariquinhas -, o que me levou a ir rapidamente para o Hospital Santa Maria (onde nasci) às urgências.
Depois de me fazerem o diagnóstico, com algumas perguntas e apalpões, disseram-me que eram gases e deram-me um Kompensan...esqueci-me de dizer que fui ao hospital com a minha prima Carla, e que quando fomos para casa ela foi o caminho todo a massacrar-me com fortes gargalhadas. De qualquer maneira sempre posso dizer que se não fosse o Kompensan tinha arrebentado, como no Sentido da Vida, dos Monthy Python.
Aprendi a lição e agora são raras as vezes que como em casa da minha mãe. Quando lá vou, espreito sempre, com um ar desconfiado, para a cozinha.

18 comentários:

jose cardoso disse...

Se bem me lembro não foi Kompensan que te deram mas sim Pepsamar.Alias tambem eu comi esse famoso bolo azul, mas devo ser muito forte pois não me aconteceu nada.Mas tenho de concordar contigo:em termos de "Patisserie"ninguém iguala a tua mãe.Um abraço para ti e um grande beijo para ela.

Patrícia Cardoso disse...

Lembro-me perfeitamente do bolo azul!!! He!He!He!Subscrevo totalmente o que escreveste!! Eu também evito comer lá em casa... lembras-te da fase das panquecas?

André disse...

Tens razão zézinho (sejas bem aparecido), foi pepsamar. Aparentemente o bolo também me /&%&/%#" o cérebro...
E lembro-me da fase das panquecas - todos os dias panquecas, só mudava o recheio. Ainda n'outro dia estive a falar com a mamã sobre isso, ela ria-se que nem uma desalmada. Vá-se lá saber porquê...
Também houve a fase do pudim de peixe; das experiências com bolos, uma das quais resultou neste que se tornou azul.

André disse...

Um abraço zézinho, e espero que continues a comentar e, quem sabe, "abras" um blog também. Beijinhos para todos.

Concinha da Mata disse...

Ainda há dias ouvi falar num frango com sopa de rabo de boi...

Patrícia Cardoso disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Patrícia Cardoso disse...

Frango com sopa de rabo de boi é uma receita do meu irmão... não é mau de todo... se a minha mãe fizesse era optimo!! LoL

André disse...

A verdade é que a mamã "tentou" fazer esse prato noutro dia...
Quando fui comer esse tão famoso prato, percebi que algo estava errado e disse-lhe: Mamã, o sabor está esquisito. O que é que se passa?
Nisto ela, com um ar inconsolável, disse-me que tinha deixado queimar e quase não tinha sobrado molho nenhum, o que ela remediou ao acrescentar água.
Aí eu percebi porque é que aquilo não sabia a nada...era só agua!

João Pinto disse...

Bem, o curioso é verificar que os "dotes culinários" da tua mãe promovem o post com maior discussão dos últimos meses!! Mas com uma unanimidade incrível em relação às suas capacidades culinárias. Já agora, lembras-te de uns chocos feitos no microondas que pulavam mais do que bolas de ténis???

André disse...

bbbhhaaaargggg.....lembro-me!!!!

jose cardoso disse...

Lembro-me muito bem da fase das panquecas, e ainda me lembro melhor de umas ervilhas com um molho esquisitissimo.Recordo-me que vi a Patricia a fazer umas caretas, mudar de cor e ir a correr em direcção a casa de banho.Comi muitas vezes refeições feitas pela tua mãe, mas nunca dei parte de fraco.Vocês sabem bem como eu sou.Mas depois disto tudo, uma palavra de encorajamento:tia Lita és a melhor tia do mundo, e eu apesar de ser um sobrinho desnaturado(onde é que já ouvi esta palavra?)gosto muito de ti.

André disse...

Com tanto feedback, já estou a pensar fazer um blog só para histórias de família. Claro que vos convidava para escrever...o que é que dizem???

André disse...

histórias com piada e sem referir nomes, claro!!!

Patrícia Cardoso disse...

Alinho no Blog da familia!!! E tu oh PADRINHO DESNATURADO!!!! No meu Blog não comentas!!!! Vais ver!!!!

Patrícia Cardoso disse...

OH PADRINHO DESNATURADO, VOU-ME VINGAR E MOSTRAR À MINHA MÃE OS TEUS COMENTÁRIOS SOBRE OS DOTES CULINÁRIOS DELA!!! HE!HE!HE! Já agora mano, a mamã pode saber deste texto?LoL

João Pinto disse...

he pá, raramente vi uma descrição tão boa para estes tipos de "comments" como o que tu escreveste: "reações enojadas"
hehehehehehe

Patrícia Cardoso disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
jose cardoso disse...

Esta é para a Patricia: afilhada traidora, vou-te riscar do meu testamento.Ja não ficas com a minha mansão da Quinta da Marinha nem com o duplex de Paris(av.Foch evidentemente)