quinta-feira, abril 14, 2005

O Senhor Dr. é burro!

Tive, há pouco tempo, uma discussão com um amigo meu, sobre a "quantidade" de cultura geral que tem uma pessoa com o ensino superior em comparação com uma que não o tenha.
Eu acho (com algumas dúvidas) que, especialmente no nosso país, a diferença não vai por aí além...
Já o meu amigo defende o contrário.
Nenhum dos dois, acredito, se baseou em estatísticas ou estudos feitos. Foi, portanto, uma discussão que utilizou o senso comum. Com esta premissa, o meu lado estava irremediavelmente derrotado.
No entanto, o que eu vejo no dia-a-dia mostra-me exactamente o contrário - não pretendo conhecer toda a gente, mas... -, mostra-me que os (alguns, muitos) indivíduos com estudos superiores perdem-se na especificidade da sua área e sofrem de uma incrível falta de cultura geral. Enquanto que os "menos desenvolvidos", talvez numa espécie de recompensa mental pela falta do sumo académico, mostram-se mais interessados num vasto campo de assuntos.
Eu serei sempre suspeito nas minhas opiniões dos Drs. vs Comuns, porque não tenho nenhum curso superior. Mas por outro lado, posso considerá-los, a eles "os superiores", que também são suspeitos, e não só isso como ofuscados pela sua aparente sabedoria.

5 comentários:

Anónimo disse...

Mentira, não me baseio no senso comum, mas sim no facto de verificar no terreno o facto de as pessoas mais cultas que conheço são formadas ao nível da licenciatura ou superior.
Relatei a tua opinião a mais do que uma pessoa (formados e não formados), invariavelmente perguntaram-me: esse teu amigo não tem curso superior pois não????
Sem mais…

André disse...

Então o que dizes é que verificaste o que as outras pessoas são e te dizem...a última vez que eu vi o que era o senso comum, era muito parecido com isso. Mas enfim, tu é que és o formado e eu vou acreditar em ti.
Quanto às tuas duas últimas frases, demonstram essa tal arrogância, que te é muito característica, e que só te fica mal.

Anónimo disse...

Bom falas falas e não disseste nada, pois bem.
É obvio que por uma questão de escala (quantidade) haverá pessoas formadas que podem ter mais cultura geral do que uma não formada.
O que será mais claro é que uma pessoa formada «caso genérico» teve de:

1-passar por testes/aferições há muito instituídas por várias pessoas
2-foi “obrigada” a reunir, sintetizar, organizar informação, que de outro modo não faria
3-adquiriu métodos de trabalho, bem como capacidades relativamente ao mesmo
4-finalmente passou a encarar a “informação” de uma forma mais eficiente no que diz respeito à sua manipulação.

Por tudo isto e, vendo quem me rodeia, recorrendo ao bom censo, digo:
Se agarrar num universo de 100 pessoa formadas (formados em diferentes cursos) e 100 não formadas e, distribuir uma série de perguntas de cultura generalista, tenho a certeza (quase absoluta) que o grupo de formados levará a melhor.

André disse...

Ah! Desculpa. Só me baseei em ti.

O não anónimo disse...

Primeiro afirmas que:
[...Ah! Deculpa. Só me baseei em ti....],

tendo no post inicial escrito

[...mostra-me que os (alguns, muitos) indivíduos com estudos superiores perdem-se na especificidade da sua área e sofrem de uma incrível falta de cultura...],

só revela falta de coerência, trapalhada na organização de ideias e vazio na critica «demagógica».
Não das uma para a caixa.