quinta-feira, setembro 29, 2005

Procura-se cavalheiro para sodomizar.

Hoje, agora, neste momento, eu desprezo o trabalho manual, a não ser que fosse feito em meu proveito.
Onde trabalho, como sou o único homem, elas pensam que tudo que seja trabalho manual é comigo. Eu mando-as dar uma curva. Primeiro, não tenho muito jeito para trabalho manual (à excepção de um que me ocorreu agora...) e segundo, não sou obrigado a o fazer.
Elas, agora no geral, têm a mania...!! Têm a mania que um gajo, porque é gajo, tem que ser jeitoso de mãos e ter uma usina nuclear nos músculos. Pois eu digo: BASTA! Basta desta escravidão voluntária. Temos que nos unir. Vamos para a rua manifestar. Isto tem que ter um fim.
Eu não me importo de ajudar, substancialmente, em qualquer trabalho físico. Porque sei que elas são mais fraquinhas.
Agora, trabalhar que nem um burro lobotomizado, enquanto elas estão sentadinhas à sombra, a beber um sumo fresco, enquanto nos observam e se riem... NÃO!
Levantem os vossos deliciosos rabinhos, e venham-nos ajudar.
Podem levar só uma pequena fracção do que nós levamos, mas o que conta é a intenção.
E depois queixam-se que os homens são machistas. E de quem é a culpa?

2 comentários:

Sérgio Pinto disse...

Eh pá a mim também não me apetece muito trabalhos pesados mas esse título... não sei... enfim boa sorte!

André disse...

Este título seria a ideia (em forma de metáfora) que elas têm de nós no que toca a... lixar-nos!
Ficaste CUrioso?