terça-feira, setembro 13, 2005

Iniciativa para principiantes.

A minha actual chefe (mulher) é muito activa. Suponho que seja inerente ao género e estrato.
Está sempre a dizer-nos para termos espírito de iniciativa, agilidade e energia. Talvez não por estas palavras, mas o significado está lá.
Talvez devido a vários anos de espartilhamento em relação à iniciativa sem o motor de arranque - o responsável hesitante!, confesso que, ao depararmo-nos com algum problema que exija espírito de iniciativa, o atrito é mais que muito.
Hoje, num movimento inesperado e para grande espanto das minhas colegas, libertei-me do contacto com todas as partículas e entrei no vácuo. A inércia foi grande...
Ainda não obtive resposta da minha chefe em relação à minha súbita iniciativa, mas uma das minhas colegas, pelo menos aquela que sabe o que eu fiz, reprovou o meu acto. Foi, no entender dela, um esforço valente mas de iniciativa pouco própria.
- "Porque," diz "ela [a chefe] fala muito dessas coisas mas quando chega a hora da verdade, corta-nos as pernas".
No entanto o meu esforço já estava consumado. Poderia eu voltar atrás? - Não! - na verdade podia, mas queria observar o ponto de ruptura do elástico em primeira mão. Então resolvi esperar.
Enquanto espero, sinto algo que não me é estranho, sinto-me dividido. Sei que fiz o certo, mas talvez por moldes errados. Sei que o objectivo é correcto, mas saberão todos?
- "E mais uma vez," penso "acabei por fazer aquilo que eu achava (acho) que estava certo. Estou-me a marimbar que mais ninguém concorde comigo".

Sem comentários: