terça-feira, agosto 09, 2005

É difícil dizer não

Detesto aquela malta que anda na rua com os questionários, que não passam de uma armadilha para comprarmos um serviço qualquer, e que nos tentam parar, a todo o custo, para "respondermos" às suas perguntas.
Normalmente estas melgas voam pela Baixa.
Mais ainda, detesto os seus métodos de "engate". De facto, é isso que utilizam para aliciar as pessoas - o engate!
Aos potenciais clientes, miúdas giras, e vice-versa.
Hoje, na rua do carmo, assim que os vi, pensei logo: $$#$#%&$&%#%#
Surpresa das surpresas, quem vem ter comigo? Uma brasileira toda jeitosa e com uma voz melosa.
- Boa tarde! Gostava de lhe fazer umas perguntas.
E eu...
- Desculpe, mas não estou interessado. Muito obrigado.
Ela insiste e ao mesmo tempo que me tenta persuadir com a sua voz exóticamente excitante, faz-me uma festa no braço.
Comecei a olhar para o formulário e para ela e a pensar que talvez pudesse perder algum tempo, apesar de saber a treta que aquilo era. Mas de repente recobrei os sentidos e disse para comigo - Mas que raio! Como é que ela quase conseguiu? - como se eu não soubesse. Recusei mais uma vez, agradeci e despedi-me. Os meus olhos estavam tristes. Ela entendeu, mas eu percebi que na próxima vez não me escapava tão facilmente.
Hoje fui bem sucedido, mas já fui apanhado muitas vezes.
Apesar de nunca ter assinado ou comprado nenhum serviço, é-me muito difícil resistir a estas encantadoras "recrutantes".
Podia dar a desculpa que sou homem e como tal a minha carne é fraca, mas não a vou dar porque é demais evidente.

Sem comentários: