quarta-feira, outubro 25, 2006

O respeito dos tolos

Ainda a respeito do 'respeito'.
Muita polémica se gerou à volta do anúncio que eu e o Anarquista Duval fizemos acerca da nossa falta de respeito pela religião e os seus seguidores.
Mas afinal o que é o respeito? O que é que nós (e penso que falo pelo Anarquista D.) queremos transmitir na realidade?
Do Houaiss, um dos dicionários mais conceituados da língua portuguesa, retirei as seguintes acepções:


substantivo masculino
1 ato ou efeito de respeitar(-se)
2 sentimento que leva alguém a tratar outrem ou alguma coisa com grande atenção, profunda deferência; consideração, reverência
3 obediência, acatamento
4 modo pelo qual se encara uma questão; ponto de vista
5 o que motiva ou causa alguma coisa; razão
6 relação, referência
7 estima ou consideração que se demonstra por alguém ou algo
8 sentimento de medo; receio


...e locuções:

a r. de
relativamente a, no tocante a, com referência a
dar-se ao r.
proceder de maneira respeitável, agir com compostura, ter uma postura digna, impor-se ao respeito de outrem
Ex.: procuramos valorizar-lhe o trabalho aqui, mas ele não se dá ao r.
dizer r. a
ser relativo a, ter relação com
faltar ao r.
ser descortês ou inconveniente para com alguém


...e ainda da etimologia:

'ação de olhar para trás; consideração, respeito, atenção, conta; asilo, acolhida, refúgio'.


Afinal muito se pode dizer sobre o respeito. Não será assim uma palavra tão limitada como parecem fazer querer os teístas.
Das acepções, em relação ao substantivo 'respeito', e ponto por ponto, vou referir o que sinto (ou não sinto) pela religião e aqueles que a seguem: o primeiro ponto é redundante; do ponto dois não posso dizer que tenha algum desses sentimentos; ponto três, não!; ponto quatro, irrelevante; cinco, irrelevante; seis, não!; sete, não!; oito, por enquanto não.
Das locuções, a única que é relevante é 'faltar ao respeito'. Não creio que nem eu nem o Anarquista D. (pelo menos na vida real, que é o que interessa) sejamos descorteses ou inconvenientes para com as pessoas no geral. Claro que os animais, que predominam na nossa sociedade, não contam. Inconvenientes também não o somos. Com isto não quero dizer que somos santinhos e desprovidos de falhas. Uma coisa que somos é subversivos e satíricos, e em consequência disso faltamos ao respeito para assim podermos esclarecer as mentes da Idade Média que ainda existem.
O respeito é muito bonito, mas não tem piada nenhuma.

7 comentários:

Sophia disse...

Não li...mas deves ter razão!!!

(ouve lá...oh tu ai...mas tu só respondes aos comentários quando é para criar confusões?!!!)

Mas deixa...nunca mais cá ponho os penantes!!!
XAU!!

Sophia disse...

Não li...mas deves ter razão!!!

(ouve lá...oh tu ai...mas tu só respondes aos comentários quando é para criar confusões?!!!)

Mas deixa...nunca mais cá ponho os penantes!!!
XAU!!

Anónimo disse...

Respeito totalmente a vossa opinião...

O Anarquista Duval disse...

Não leste e ficaste confusa? serão letras a mais?

André disse...

A menina assim não aprende.
Este blog sem revolta não existe...

Sophia disse...

Mas qual revolta??!!! Essa não percebi!! Se existisse mesmo, ai tudo bem mas o único revoltado aqui és tu!!!

André disse...

E então? Não sou eu que escrevo?