quarta-feira, outubro 18, 2006

A minha terra prometida

Quarenta e tal por cento dos espanhóis gostariam que Portugal se unisse a Espanha formando um novo país, talvez chamado Iberia.
Apenas um quarto dos portugueses desejaria o mesmo.
Quanto a mim, e detesto falar espanhol, acho que não me importaria. Desde que se mantivessem a cultura e uma independência ideológica, acho que seria bom.
Porquê? - Não é pessoal, é apenas negócios.
Acho que com trinta e seis anos estou um pouco farto de ouvir "temos que apertar o cinto". E eu sou novo.
Ou se quiserem, ilustro assim: Sou solteiro, e vou passar a pagar mais IRS do que uma casa onde entram dois ordenados; E já agora vou acrescentar mais 15% de valor pago à EDP. E ainda tenho que levar com o Secretário de Estado da Indústria (?) a dizer que a culpa é minha porque tenho andado a gastar demais; E tudo o resto que aumenta, numa base quase mensal, de 100$00 em 100$00, ou de 200$00 em 200$00. Sim, escudos que eu já não vou na treta do Euro psicológico.
Eu sei que se fosse espanhol, ou ibérico, seria muito mais protegido desta canalha política e teria(mos) uma qualidade de vida incomparável à actual.
Também me estou a cagar para os nacionalismos. A meu vêr, mais tarde ou mais cedo (mais tarde), todas as nações serão unidas numa só. E se é para começar a fazer isso, que sejamos nós Os Conquistadores e Exploradores. Temos que dar o exemplo.
Em relação à monarquia, também me estou a cagar. Se como ateu sou capaz (hipocritamente) de me confessar e casar e o que for preciso para o meu bem estar, sem remorsos nenhuns; como anarca também sou capaz de (cinicamente) berrar "Viva o Rei!".

7 comentários:

Patrícia Cardoso disse...

Sempre tinhas a tua sobrinha para te fazer traduções!! Não sabia que eras hipócrita!! Que horror!!Eu sempre disse que não eramos do mesmo sangue, acredita André que foste abandonado e apanhado pela minha mãe, ela teve pena de ti!

Patrícia Cardoso disse...

Eu seria incapaz de me casar pela igreja não sendo católica, como sabes!

André disse...

Mas neste caso até é uma coisa boa.
Além disso, nunca disse que era perfeito, tenho orgulho em dizer que possuo todos os defeitos inerentes à condição humana. E mais, quem não os tem, ou apregoa não os ter, é olhado(a) com suspeição pela minha parte.

André disse...

Mas eu sou ateu. Para mim a religião não significa nada, sendo assim, não tenho qualquer problema em passar por determinados, e inocentes, rituais, desde que isso significasse fazer a minha (potencial) noiva feliz.
Não sou fundamentalista nem dogmático em nada.

Patrícia Cardoso disse...

Eu sou fundamentalista em certas coisas, isto é, nas minhas convicções! No entanto também sou um ser imperfeito...

O Anarquista Duval disse...

Estou a começar a concordar contigo, André...os tugas estão a ser cada vez mais maltratados pelo próprio estado...E CONTINUAM A VOTAR!!!!
Somos um país de estronsos.Tenho vergonha.

ass:outro hipócrita

Sophia disse...

Fofuxo, como sabes, adoro ler a tua poesia...já vi que cada vez mais te encontras apaixonadissimo!!!!
Cenas do próximo capitulo"Fofuxo e a escrita secan...ai,romantica"!!!