sábado, junho 18, 2005

Ra(cismos).

Agora com o racismo na ordem do dia, fala-se muito em tolerância, de resto como é costume.
TOLERÂNCIA, desprezo esta palavra quando é utilizada como contrapartida ao racismo.
Na definição do verbo tolerar encontro, entre várias outras palavras, digerir e suportar.
Ora, quando dizem aos racistas para em vez de o serem se tornarem tolerantes, qual é a mensagem que realmente está a passar?
Estará-se realmente a pedir que evoluam ou que camuflem os seus "sentimentos"?
Se é para pedir alguma coisa a estes energúmenos não seria melhor pedir para evoluirem ou desaparecerem?
E, já agora, gostava de saber o que é que eles pensam quando nas notícias os portugueses são constantemente considerados uma minoria étnica em outros países e, por isso, sujeitos a serem escorraçados (muitas vezes o são). Aposto como se devem sentir confusos em relação à "raça" que supostamente deveriam ter.
Não sentirão um qualquer sentimento de Dejà Vu quando lá fora acontecem as mesmas coisas com portugueses que acontecem cá em relação aos ciganos, por exemplo?
Mas suponho que isso não seja suficiente para essas moscardas evoluirem.
Talvez se sentissem na pele o desprezo e ódio de outras pessoas que se consideram superiores, só porque na gama das cores tenham a diferente, conseguissem se aperceber que alguma coisa está errada no seu racíocinio.

2 comentários:

Anónimo disse...

olha lá ó marmelo não deeprezes a palavra pois é precisa muita tolerância para te aturar

André disse...

ó ignóbil criatura anónima, a tolerância que eu falo é somente no contexto do racismo...