quarta-feira, abril 19, 2006

Posts de espetada

É verdade que sou, muitas vezes, precipitado nas minhas acções; também é verdade que no âmago da minha revolta está sempre presente uma vontade incontrolável de me rir. É um sentimento que eu só posso tentar transmitir como uma mistura de fúria, espanto e enorme gozo. Muitas diriam: uma enorme moca!
Como o excesso e o humor comandam a minha vida, este blog também é um reflexo disso. E por isso resolvi escrever este post para tentar explicar que as contradições, os exageros, as piadas de mau gosto, a superficialidade dos temas, enfim, todos os pequenos acepipes que dão sabor a ser humano, e que eu tento passar para aqui, fazem parte natural da minha maneira de ser.
Tudo isto eu pensava já estar implícito, de uma forma subtil, neste blog, mas afinal parece que não... paciência!
Se me dou ao trabalho de tentar justificar o que sou/escrevo, e é a última vez que o faço, é porque acho que devo isso às minhas vítimas: Vítimas, minhas pequenas criaturinhas, peço-vos paciência. Sei que no futuro darei pauladas com mais delicadeza, mas preciso ainda de ganhar prática. Entretanto as vossas cabecinhas são minhas!

Revoltas cordiais do sempre vosso
Espancador

13 comentários:

O não anónimo disse...

Este post é claramente uma desculpa de mau pagador embrulhada em lavagem de mãos à Pilatos...

Basta ver os posts em que eu te interpelo, obtendo repostas tuas, que contrariam claramente o que dizes...

Não digo todos os teus post não reflictam no que escreveste neste, o que digo é que em grande parte tal não se verifica...

A saber:
mais uma vez pergunto; queres enganar quem?

Mentiroso cobarde pseudo-demagógico!

André disse...

És um bocado egocêntrico, pois este post não te era dirigido. Agora apanha o queixinho do chão!

O não anónimo disse...

O queixo está no sítio, em contrapartida o teu pé está ferido (tiro no pé).

1.º Refiro as minhas interpelações, simplesmente para "validar" o que digo. Aqui não apareço como que a responder a um ataque directo, basta ler e conferir!

2.º Quando digo que:

"A saber:
mais uma vez pergunto; queres enganar quem?"

estou a fazer unicamente uma pergunta de retórica, não me incluindo como exclusivo destinatário da tua tentativa de atirar areia para os olhos de quem lê o teu post...

Ou seja esta minha interpelação não é redigida como uma reacção de quem responde a um ataque directo.

Logo a acusação de egocentrismo baseada neste post, morre...

Literacia (da tua parte) necessita-se!

André disse...

O meu pé está magoado de facto, mas é por ter tropeçado no teu queixo.

1.º Apareces a responder! - é um facto incotornável.

2.º Como foste o único que respondeste a este post, logo te tornaste (automaticamente) o exclusivo destinatário pelas tuas próprias mãos; e quando dizes:
"Ou seja esta minha interpelação não é redigida como uma reacção de quem responde a um ataque directo."
mas antes já tinhas dito:
"Basta ver os posts em que eu te interpelo, obtendo repostas tuas, que contrariam claramente o que dizes..."
Meu amigo, esses pezinhos e esse queixinho já devem estar muito magoaditos...

Iliteracia (da tua parte) acrescenta-se!

O não anónimo disse...

Retenho o que disseste, não importa como, afirmas que tropeçaste, portanto és um trapalhão...

De facto apareço sim, "incontornavelmente" a comentar, não a responder como o "alvo". Diferença imperceptível aos teus olhos.

Ao dizeres que

"2.º Como foste o único que respondeste a este post, logo te tornaste (automaticamente) o exclusivo destinatário pelas tuas próprias mãos..)"
É uma falácia (mais do que básica), desde quando por se comentar algo, a pessoa fica como o único destinatário da missiva, ocorrem-me vários exemplos... Por exemplo: um comentador politico seria alvo de todos os assuntos comentados; um absurdo!

Voltando a repetir,
Quando digo que "Basta ver os posts em que eu te interpelo, obtendo repostas tuas, que contrariam claramente o que dizes..." com isto refiro as minhas interpelações, """"simplesmente"""" para "validar" o que digo. Aqui não apareço como que a responder a um ataque directo, basta ler e conferir!

Digo:

Literacia (pouca que havia da tua parte) retira-se!

Vejo que "tentaste" dar-me literacia, pois bem; guarda-a que te faz (muita) falta.

André disse...

Sou de facto um trapalhão, quem me mandou andar em cima do teu queixo.

1.º Se não és o "alvo" - não és de facto - ages como um;

2.º Quase nem seria necessário dizer, mas mais uma vez fazes comparações absurdas. Obviamente todo o contexto de, ambos, post e (teu) comentário, não deixam margem para dúvidas de quem lança o isco e de quem (ahahahahahah) o morde.
E mais, só para provar que nem sabes o que escreves:

Primeiro dizes:
"A saber:
mais uma vez pergunto; queres enganar quem?

Mentiroso cobarde pseudo-demagógico!"

e depois, por último, dizes:
"Aqui não apareço como que a responder a um ataque directo, basta ler e conferir!"

Bom, palavras para quê...?

Dava-te mais iliteracia, mas não a tenho.

André disse...

Sinto muito, mas tive que apagar o comentário anterior. Estes devem ser concisos e não insultuosos, caso contrário...
As únicas pessoas que têm direito a insultar neste blog são os autores.
Fico à espera de um novo comentário, reformatado segundo os meus critérios.

Nota para o Não Anónimo: se desejas fazer longas dissertações filosóficas sobre os meus posts, sugiro que dês início ao teu próprio blog. Até te posso dar algumas sugestões para nomes: Revolta às Vozes da Revolta; Anotações às Vozes da Revolta; Aquele gajo irrita-me; A Voz da Revolta é só parvoíces; Não concordo com nada; Revolta...que Revolta?; Revoltas em loop; Revoltinha de rabo na boca; etc.

André disse...

Ainda está muito longo e insultuoso!

André disse...

Loooooonggoo!!!!!!!!

André disse...

Agora está insultuoso. Em que é que ficamos?

André disse...

Agora está curto e não é insultuoso, mas não gosto muito do teor...continua a tentar.

André disse...

Só quero dizer que o facto de estar a apagar os comentários do Não Anónimo não tem nada a haver com fascismo. É muito mais simples do que isso: Ele é um chato!!!
Então resolvi não o aturar mais, e esta é a melhor forma.

André disse...

Era tão longo e aborrecido que nem li.