quarta-feira, julho 25, 2007

Troco mãe

Sempre que alguém vai pedir dinheiro ou divulgar informação necessária - vida depois da morte e afins - a casa da minha mãe, ela, do alto da sua generosidade e boa graça, ou diz que não tem dinheiro e para tentarem no andar de baixo, na casa do filho, ou diz que não tem tempo mas que o filho é muito atencioso e compreensivo e que irá concerteza ter tempo para receber as linhas orientadoras de qualquer Deus.
Não é preciso dizer que sempre que abro a porta e um desconhecido me pergunta "É o filho?" sei sempre o que me espera.
Ontem tive direito a mais um episódio desta interminável telenovela: Abri a porta; a senhora mandou um berro com o kiko que sai sempre inofensivamente disparado; eu olhei para ela com olhos de carneiro mal morto porque já desconfiava o que ia sair dali; ela explicou-me de onde vinha e o que queria, não sem antes perguntar se eu era o filho, claro!; eu disse-lhe que não tinha nada para lhe dar mas que a porteira tem sempre qualquer coisita (cada um goza com quem pode); ela despediu-se com um olhar de desprezo; eu esquecia-a em cinco minutos.
Mais tarde fui a casa da minha mãe para tentar perceber o que é que ela tem contra mim e para lhe perguntar quando é que me devo mudar para outro prédio. Mal cheguei a casa dela comecei a ouvir uma gargalhada abafada...
Já não chega viver num prédio hostil onde a porteira espalha o boato que eu sou homossexual e que alguém se diverte a pôr sal debaixo do meu tapete, também tenho que viver um andar abaixo de uma mãe sádica.

9 comentários:

trintona disse...

he he he e qd ela te quer arranjar uma namorada? tb é engraçado!! hehe

Avelã disse...

sal debaixo do tapete pra qué isso???

e tu de homosexual nao tens nadinha

voandobaixinho disse...

Mudar de casa ou de orientação sexual está fora de questão certo?

Anónimo disse...

Estou de moletas mas não te livras de mim!!!

Solução para a Mamã: Mãe ou me deixas de enviar os pedintes lá para baixo ou vou almoçar e jantar a tua casa todos os dias.

Solução para a porteira: Arranja uma miúda e simula uma... mesmo à porta dela.

Solução para o sal:...não tenho...

Ana E.

André disse...

trintona: quando é nos transportes públicos fico vermelho como um tomate.
avelã: ainda não sei bem; haja alguém que defenda a minha (possante) masculinidade.
voandobaixinho: estão as duas fora de questão.
Ana E.: Então pá? Isso está melhor ou quê? Ouvi dizer que torceste o pé quando estavas a sair da cozinha - alguma armadilha para te manter lá? As tuas soluções são espectaculares, vou já tratar disso. As melhoras e tenta não fugir da cozinha outra vez. ;-)

Cocas disse...

Cada um tem aquilo que merece!!!
Ah ah ah ah , grande TIA LITA!!!!

André disse...

Cocas? Mas isso é nome de gente?

Florença disse...

Pinta uma folha gigante de marijuana na porta. Vais ver que rapidamente se esquecem do rótulo de panasca (passas a ter outro, mas isso agora não interessa nada). Tb acho q deve funcionar para as testemunhas de Jeová :D

André disse...

Florença, és uma espertalhona! Talvez experimente mesmo isso... ;-)