terça-feira, dezembro 13, 2005

O lado bom da fúria

Se os monólogos ganhassem Oscars este seria um deles: tirado do (fabuloso) filme "The upside of anger", escrito e realizado por Mike Binder.


"A raiva e o ressentimento podem impedir-te de seguir em frente. É o que agora concluo. Não necessita de nada para consumir senão o ar e a vida que devora e asfixia. Contudo existe...a raiva. Mesmo que assim não seja...pode modificar-te...transformar-te. Moldar-te e converter-te em alguém que não és tu.
O lado bom da fúria, portanto...é a pessoa que venhas a ser. Alguém, esperemos, que desperte um dia...e se aperceba que não receia o trajecto a percorrer. Alguém que saiba que a verdade é, na melhor das hipóteses, uma história parcialmente contada. Que a fúria, tal como o amadurecimento, vem por acessos, e no seu rasto, deixa uma nova oportunidade de aceitação. É a esperança de serenidade.
Mas...que sei eu? Ainda sou uma criança!"

Sem comentários: