terça-feira, maio 10, 2005

Que desa(tino)!

Seremos tão poucos os que desprezam o Tino de Rans???
O burgesso não dá uma para a caixa! Além disso, a gargalhada dele provoca-me náuseas.
Já me tinham dito muitas vezes que neste país se cultiva o gosto pelos "coitadinhos" e de facto ao ver palhaços como o Zé das galinhas (lá do Big Brother), o Conde White Castle e outros, que ganham os concursos sem razão aparente a não ser o facto de serem uns básicos, eu realmente acreditei (e acredito) que esse culto existe. Mas agora, com o Tino de Rans, foi dado um gigantesco passo na direcção da cretinice.
Já não se pode dizer que temos o culto dos "coitadinhos" mas sim dos cretinos.
Hoje em dia é difícil ver televisão sem ir calhar a um canal, sem querer, em que esteja a dar um "coitadinho" em todo o seu esplendor. O meu controlo remoto parece que emite descargas de electricidade sempre que mudo para um canal que esteja a difundir cretinice, de maneira que quando isso acontece a minha mão contorce-se com espasmos obrigando os meus dedos a pressionar imediatamente outro botão de canal.
Tenho que reconhecer que, num qualquer exercício de masoquismo, ás vezes ponho-me a ver um destes ignóbeis seres a debitar as suas alarvidades do costume, enquanto isso vou entrando numa espécie de catatonia comatosa (para os palhaços que têm a mania que não se pode inventar no português, ide...). Isto não me ajuda a adormecer, aliás não me ajuda em nada é até prejudicial para a saúde, mas enfim, masoquismo é masoquismo.

6 comentários:

Dizeres Meus disse...

Onde é que tu viste o TINO?
Esse gajo é história, desde os estados gerais do PS em 1999

André disse...

Na quinta das celebridades. Não costumo ver por sistema nem recomendo.

Anónimo disse...

catatonia comatosa, não existe e não tem logica, pois algem em estado comatoso não pode estar em estado catatónico (pois está em coma)

André disse...

Provavelmente nunca ouviste falar em enfâse.

Anónimo disse...

Prefiro «ênfase» sem ilogismos, que no teu caso é difícil de conseguir, ficando tal facto provado com prova provada (não passo o pleonasmo!!!).
Respondendo à tua pergunta, se eu já ouvi falar de “enfâse”, eu digo que NÂO, só ouvi falar de “ênfase”!!! huaaaaaaa hua huaaaa
Ênfase tem acento no “e” e não no “a”, nossa senhora te valha, és um caso perdido, já percebo o teu agrado pela série LOST…

André disse...

O que tu preferes não me interessa a mim, por mais absurdo e ilógico que te possa parecer.
Eu sei que não estás habituado aos recursos estilísticos e ás figuras de estilo porque lês pouco ou nada, mas não tenho culpa...
E acho de muito mau gosto chamares-me a atenção de erros ortográficos deste género que, claramente, podem ter várias causas. Se reparares eu não te corrijo.
Á tua falta de educação podes juntar muito mau gosto.