segunda-feira, novembro 05, 2007

Os contínuos dos auditórios

Detesto! Detesto! Detesto!
Os melgas dos contínuos dos auditórios e pavilhões.
Ou é porque se estão a cagar para tudo, ou é porque são tão dedicados que não sei se estão a lamber o cu ao chefe, a ajeitar-lhe as calças ou a pôr-lhe o emissor do microfone.
Detesto! Detesto! Detesto!
Os grandessíssimos chatos dos contínuos dos auditórios e dos pavilhões.
Ou é porque desaparecem durante horas, deixando-nos a mãos com as mais intrincadas aparelhagens inventadas pelo hominus conferencius, ou é porque fazem questão que cada "introdução" de uma pen seja supervisionada por mais dois assistentes para que o Powerpoint tenha garantia absoluta de correr todas as transições amaricadas.
Detesto! Detesto! Detesto!
O facto de estar "entalado", mais uma vez, com um destes gajos.
Este não me larga: ou são as pens que faz questão em dar-me - como se os conferencistas não soubessem para que é que elas servem; Ou é o portátil que é Mac com Linux; Ou são as cadeiras que não são suficientes; Ou é o engenheiro Ambrósio que está com calor ou a professora Odelinda que está com frio.
Nem consigo cinco minutos para escrever mal deste gajo à vontade porque ele anda sempre de um lado para o outro. Lá vem ele outra vez!
Para piorar, quando está quieto não está calado. Tem opinião sobre tudo e histórias para todos os gestos que eu faça - Olhe, agora, quando vi a sua mão a fazer-me um manguito, fez-me lembrar a conferência de 97...blá, blá, blá.
Que raça!!! Detesto-os!

5 comentários:

João Pinto disse...

Sô André, o blog precisa de mais cor!! Sô André, o texto tem de estar com as letras maiores senão as pessoas não bêem!!, Sô André, O texto tem de ser mais curto e mais longo, na diagonal e na perpendicular!!!

SÔ ANDRÉ!!!!

André disse...

OK! OK! OK!

Acropolis disse...

Eh lá!!!
O grafismo teve um improve de 100%!

Benditas observações! xD

Avelã disse...

e eu a pensar que nestes ultimos dias não conseguias odiar nada nem ninguem, e eu a pensar que só conseguias ver cenas lindas a voar a volta da tua cabeça, e eu a pensar que só vias cenas com formas belas a tua frente, e eu a pensar... se calhar é melhor deixar de pensar ahn?

André disse...

É precisamente por estar em grande harmonia e felicidade que já me permito novamente odiar. É uma contradição, eu sei.
Claro que só odeio os chatos.