quinta-feira, maio 04, 2006

Malditos não-apreciadores de música alta!

Eu gosto muito de ouvir música "alta". Comigo o volume está sempre acima!
Mas, claro, conheço algumas pessoas que não podem ouvir o som celestial da música. Quando estas pessoas me fazem o favor de tolerar o "som" que ouço, emitem continuamente sinais da sua irritação: são os 'nts!' ou 'ts', são os movimentos contínuos e espasmódicos, são os tiques e as célebres sentenças - estou a ficar com dor de cabeça!
Quando me vejo na companhia de uma semi-colcheia destas, não só perco a vontade de ouvir música, como fico angustiado e stressado também. A partir do momento que ouço um 'ts' perco logo a concentração e o prazer.
Normalmente, deixo ficar a música no volume em que estava: Posso ficar todo stressado, mas levo o semi-tom ao suicídio; Posso não ouvir nada, mas o solfejo afónico vai à loucura!; Posso ficar angustiado, mas o maricas do dórémi tornar-se-á epiléctico e com graves crises de asma (sem qualquer insulto aos que já o são e gostam de música).
Música, só em casa, com companhia apropriada ou sozinho.

7 comentários:

Aleisa disse...

Podes sempre tornar-te um Eremita...

:)

André disse...

Estou-me a tornar! ;-)

O não anónimo disse...

...pronto para com ele levar...

André disse...

Já te estou farto de dizer que não sou do teu clube de arrasto pela popa.

Dizeres Meus disse...

ó melga anónima,
ainda cá andas?
fónix, ca ganda heemorróida que me saíste...

O não anónimo disse...

Alguém falou em "arrasto pela popa"?!

Quando disse "...pronto para com ele levar...", seria até ao fim… Referiam-me portanto, levar o carácter de Eremita até às últimas consequências… Mas vejo que pensas logo numa “coisa”, como que hipnotizado por “algo”, porque será?!?!
Isso de “arrasto pela popa” estará associado aos pescadores? Será que são saudades?

Por falares em “arrasto pela popa”, não posso deixar de pensar no nic “Dizeres Meus” com uma certa desconfiança; não sei porquê mas há algo nesse nic… Deixo à consideração…
Soma-se ainda facto do comentário do “Dizeres Meus”, neste post, ser algo histérico.
Curiosamente, histeria, na antiguidade, estava associada a uma doença do útero, caracterizada por convulsões…

Dizeres Meus disse...

És tão inteligente Ameba Anónima,
Fónix, as merdas que um gajo/a aprende com um beto gordo com sebo a escorrer pela fronha.
Dasse, és mesmo uma daquelas hemorroidas que um gajo coça mas que não só não desaparecem como voltam a dar mais comichão e andam sempre cheias de merda.
Desaparece ó alforreca daninha e chupista.
Ou será que tte tenho de dizer isto em forma de supositório para perceberes?