sexta-feira, outubro 10, 2014

Rasta em Algés

Estava quase a sair na estação de Algés, quando algo me prendeu a atenção. Na minha frente, de pé, uma rapariga rasta e um tio da linha, lado a lado. O tio da linha decide começar a falar com a rapariga "Posso fazer-lhe uma pergunta?". O comboio estava quase a parar e eu começava a ficar curioso. Ela "sim". O tio hesita um pouco e pergunta "Essa trança já cresce assim ou tem que fazer alguma coisa?". O comboio parou e eu tenho mesmo que sair por causa da bicicleta, mas esperei mais um segundo, tanto para ouvir a resposta, como para ver a reação dos dois. Ela "Não cresce assim, tem que se cozer." O tio "Ahhhh!!!"
Saí.
Vieram calados o caminho todo e posso jurar que não se conheciam. Deste tio só posso dizer: ou deu-lhe uma travadinha, e ficou o resto da viagem a olhar para o chão quando se apercebeu; ou é idiota de origem, e sendo assim, nunca irá perceber.

Sem comentários: