quinta-feira, janeiro 29, 2009

A vingança dos cocós

Parece que sempre que escrevo sobre algum estereótipo, um digníssimo representante aparece para se vingar.
Tenho um amigo meu que sempre que me telefona finge a voz de um cocó; mas um daqueles cocós mais afectados; e ele tem muito jeito.
Recebi um telefonema de um cocó afectadíssimo que eu pensei imediatamente ser este meu amigo. Estava enganado!
Quando este cocó começou a falar comigo eu desatei logo a rir, mas não me descaí... quero dizer, não me descaí com insultos a esta pessoa. Embora tivesse mantido sempre uma conversa inócua, estava mortinho por dizer: "Então meu mariconço? Esse rabinho? Está melhor?" - que é uma forma que nós, gajos, temos de nos cumprimentar.
Antes que eu me enterrasse formidavelmente - estamos a falar do meu local de trabalho -, este cocó identifica-se. Eu imediatamente parei de rir, e respondi, muito casualmente, como se não fosse nada comigo: "Ah! Como está? Sim, concerteza, eu passo o recado...".
Estranhamente não senti nada; nenhum remorso, nenhuma culpa, nem um poucochinho de consciência pesada, nem corei. Parece que estou a melhorar. Isso ou estou-me a cagar.

1 comentário:

Anónimo disse...

é COCÔ!NÃO COCÓ!eu pesquizei na google "blogs interessantes de cocôs"!