quarta-feira, agosto 27, 2008

A nomenclatura da irmã do Gino

O meu novo amigo, gino o lojista, diz-me que acha ridículo esta mania de dar nomes de gerações anteriores aos putos, nomes cuja verbalização exige sempre uma inflexão anasalada "venha cá Tomás", "Esteja quieto Martim", "Oh Afonso, plamordedeus, pare!", "Duarte e Lourenço parem de se oscular dessa maneira!", "Salvador, saia da picina e vá à garage chamar o caseiro", etc, etc, etc.
Este meu amigo vai ser pai, soube-o há pouco tempo; e, como é normal, já anda a escolher nomes. No entanto, a irmã do gino é uma espécie de catatua com pózinhos de tia d'ávenida de roma, e com a mania que é nova-rica - paradoxos do novo milénio. Ela tem, continuadamente, irritado o meu amigo com as suas tentativas de imposição do seu - diz ela - bom gosto. O gino, homem de grande personalidade, não se deixa influenciar pela sua siebling, antes mostra-lhe que não só os gostos não se discutem, como o seu gosto (dele) é de uma qualidade simples e, por isso mesmo, irredutível.
Eu concordo com o meu amigo que a irmã dele é uma chata.

4 comentários:

Antiego disse...

A ideia deve ser que esses nomes são nobres (a começar com Duarte). Já agora, ainda não vi nenhuma criança chamar-se Baptista - ainda assim, do mal seria o menos.

trintona disse...

já agora diz lá que nomes que o teu amigo tem escolhido...só para ver se é a irmã que é chata ou ou Gino piroso...

André disse...

antiego: baptista ainda há-de aparecer, não desesperes...

trintona: eduardo, filipe, mafalda, matilde - como vês, nomes normais

trintona disse...

normais...sim...todos menos Eduardo! Diz ao teu amigo que Eduardo não está com nada!!