quarta-feira, janeiro 02, 2008

De quem eu não gosto, contra as paredes eu lanço...

O meu feitio obriga-me a, sempre que estou com alguém insuportável, falar e pensar coisas completamente opostas.
Sou capaz de manter uma conversação "muito" amigável, com sorrisos e tudo, e ao mesmo tempo que algumas palavras me saem da boca, as outras, silenciosas, mandam o meu interlocutor à merda inúmeras vezes e ainda o apelidam com alguns nomes feios, que me escuso de repetir.
De facto, algumas pessoas, sem qualquer razão aparente, ou por todas as razões do mundo, trocam as voltas aos meus inúmeros eus. Mas numa coisa todos eles concordam: aquela pessoa é desagradável!!!
Eu tento reduzir ao mínimo o número de segundos que sou obrigado a interagir com uma destas pessoas. Irrita-me ter esta dualidade dentro de mim e não poder mandá-los logo à merda como é a minha vontade inicial e instintiva. O problema depois seria explicar o insulto: "Epá! Desculpa, mas não suporto olhar para ti. E falar contigo provoca-me vómitos e vontade de te esmurrar. Desculpa! São daquelas coisas, sabes...".
Também tenho os meus dias de maior e menor transparência fisionómica. Uns dias deixo-me ir abaixo e mostro os meus verdadeiros sentimentos interiores; Outros, mantenho-me forte, com um sorriso, uma palavra gentil e um punho atrás das costas, cerrado.
Felizmente as pessoas desagradáveis que eu "conheço" são muito poucas, e são raras as vezes que interagem comigo porque eu fujo com muita facilidade.

Sem comentários: